Revista Prâksis


Próximos Dossiês:
 

• Discussões e abordagens sobre a moda como manifestação cultural
Prazo de entrega do artigo: 30/04/2017
Previsão de publicação: julho de 2017 

Apresentação

      Uma manifestação cultural é, sobretudo, uma voz social entoada por meio de diferentes instrumentos. Literatura, música, arquitetura e gastronomia são algumas das notas que compõem esta melodia que, ora se apresenta de maneira mais implícita, ora mais explícita. Neste sentido, a moda é uma importante forma de expressão cultural da atualidade que, através de um conjunto de elementos, manifesta uma linguagem e, também, signos.
      Há décadas que vestir-se deixou de ser apenas uma atividade de proteção física e de pudores. Sabemos que por trás das roupas, há um rico universo de significados e mensagens. A moda, portanto, é um dos meios utilizados pelos indivíduos para expressarem suas ideias e se apresentarem aos demais.
      Além disto, o sistema da moda está entrelaçado em bases estruturais das sociedades e contempla, além das roupas, um complexo contexto relacionado com política, economia, sociologia e cultura. Por isto, podemos dizer que as manifestações mediadas pela moda permeiam a maioria das culturas e independem do tempo, da raça, da classe social, da idade ou da origem.
      Em virtude da dimensão da moda ultrapassar o setor do vestuário e relacionar-se, também, com outros setores, estudos sobre manifestações culturais desta natureza são plurais e estão conectados com aspectos multidisciplinares. Símbolos, cores e formas; tradições, rituais e religiões; processos produtivos, técnicas manuais e desenvolvimentos cooperativos; formas de comercialização, midiatização e exaltação da moda; maneiras de propagação das tendências de comportamento e de consumo de moda são algumas das possíveis relações a serem feitas neste vasto espaço que compreende o binômio moda e cultura.
      Como podemos analisar e pensar sobre estas relações nos traz um conjunto de possibilidades que a moda oferece quando compreendida, também, como forma de manifestação cultural.

Prof.ª Dr.ª Bruna Ruschel Moreira
Professora do Curso de Moda e do Curso de Design da Universidade Feevale

............................................................................................................................................................................................................................
 

• Alimento e comida: perspectivas culturais e seus significados

Prazo de entrega: 31/10/2017
Previsão de publicação: janeiro de 2018

Apresentação

      O Brasil em sua extensão geográfica possui características multiculturais que se revelam em uma pluralidade de costumes e tradições. Na década de 90, com o incremento dos processos de globalização e do crescimento do mercado mundial de alimentos, passamos a cada vez menos exercer a nossa soberania sobre a decisão do que produzir e do que comer e, consequentemente, o direito de cada pessoa ou grupo de exercer a livre escolha sobre o que consumir.
      A crescente padronização da alimentação por meio da produção industrial e o aumento de monoculturas como a soja afetaram a diversidade de culturas e, portanto, o comportamento alimentar, os costumes à mesa e a escolha dos alimentos dos mais diversos grupos e de indivíduos em nosso país e ao redor do planeta. 
      O alimento é um dos elementos culturais que torna possível a constituição de uma identidade, o que é colocado no prato simboliza um pertencimento, uma identidade cultural, uma condição social e memória familiar. Nesse contexto, tornam-se cada vez mais relevantes as discussões e reflexões acerca da comida também como identidade territorial.
      O ato de comer não é apenas uma atividade biológica, mas sim um fenômeno social e cultural, uma mistura de conhecimentos adquiridos na família e com os grupos com os quais convivemos.
      Estudos sobre a cultura alimentar, seu simbolismo, comportamentos de consumo, tradições culinárias, valorização de alimentos utilizados por nossos antepassados, modos de preparo entre outros, são fundamentais não apenas para valorizar a diversidade alimentar, mas também para contribuir com práticas alimentares saudáveis para o desenvolvimento integral da pessoa humana. Além disso, esses estudos ajudam a compreender melhor a ligação da comida e de seus significados nos grupos humanos dentro de uma perspectiva cultural. 

Prof.ª Dr.ª Maria Helena Weber
Professora do Curso de Nutrição e do Curso Superior de Tecnologia em Gastronomia da Universidade Feevale

............................................................................................................................................................................................................................


v. 2 (2016): Cultura, Comunicação e Diversidade no Contexto Contemporâneo - Diálogos Interdisciplinares


Capa da revista