A OPINIÃO COMO FUNDAMENTO DE ANÁLISE DA REALIDADE SOCIAL E A SEMIOSE COMO RECURSO EPISTEMOLÓGICO EM CONTEXTO PEDAGÓGICO

Norberto Kuhn Junior

Resumo


A sala de aula, especialmente por meio de disciplinas voltadas à formação sócio-histórica e filosófica, se transforma em solo fértil para a germinação de todo tipo de conhecimento, inclusive de natureza diversa do que convencionalmente chamamos de científico. Nesse espaço, são muitas as explicações que elaboramos sobre os fenômenos da realidade social, tomando como base nossas percepções e experimentações cotidianas. Tais explicações são comumente expressas pela fórmula "sobre esse assunto eu acho que... " ou "minha opinião é... ". O desafio que se coloca, neste artigo, é pensar a condição do aluno e do professor na instauração do processo de reflexão conceituai sobre a vida social cotidiana (o nosso entorno social), sobre a qual operamos centenas de "eu acho que" explicativos. Busca-se inspiração na tipificação dos processos de significação presentes na semiótica de Peirce (Charles Sanders Peirce), aliada à experiência como professor na disciplina de Fundamentos de Realidade Brasileira e Cidadania em diversos cursos do Centro Universitário Feevale.

PALAVRAS-CHAVE: Conhecimento. Semiótica. Realidade Social. Sala de Aula. Ensino-Aprendizagem. Opinião.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25112/rp.v2i0.609

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


............................................................................................................................................................................................................................

ISSN versão eletrônica: 2448-1939
ISSN versão impressa: 1807-1112 

Licença Creative Commons
A Revista Prâksis segue os critérios da Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Prâksis - Universidade Feevale (Novo Hamburgo, Rio Grande do Sul, Brasil).