CULTURA, SOCIEDADE E MORTE EM “A ODISSEIA”

Rodrigo do Prado Bittencourt

Resumo


Este artigo busca refletir sobre alguns importantes aspectos da(s) Cultura(s) Ocidental(is) presentes em “A Odisseia”, de Homero: o diálogo entre o indivíduo e a tradição cultural; a vida em sociedade; as relações do homem com a Morte e com o Outro e outros pontos de análise que surgem da leitura dos sofrimentos e trabalhos de Odisseu. Os sacrifícios impostos ao indivíduo pela vida em sociedade e a caracterização que o herói faz do que é próprio desse tipo de vida foram também um foco de reflexão. Todavia a análise não se limita a isso, mas também usa da Antropologia e da Psicanálise para melhor entender a relação de Odisseu com a morte, tendo como seu objetivo central entender por que ele não aceitou a proposta de Calipso e recusou a imortalidade. Objetivo que é buscado a partir do pressuposto de que o texto traz uma visão da morte que é ainda muito importante para o Ocidente, o que nos permite refletir sobre a Cultura Clássica e as marcas que deixou na formação da Modernidade.

Palavras-chave: Homero. Odisseia. Cultura Ocidental. Morte. Sociedade.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25112/rp.v1i0.714

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


............................................................................................................................................................................................................................

ISSN versão impressa: 1807-1112 
ISSN versão eletrônica: 2448-1939

Licença Creative Commons
A Revista Prâksis segue os critérios da Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Prâksis - Universidade Feevale (Novo Hamburgo, Rio Grande do Sul, Brasil).

............................................................................................................................................................................................................................
 
Desde 16/08/19