MACHADO DE ASSIS: PERCURSOS NA HISTORIOGRAFIA LITERÁRIA

Andrea Czarnobay Perrot

Resumo


O presente ensaio propõe-se a trilhar alguns dos percursos da história da crítica machadiana chegando até Roberto Schwarz, este tido como representante de uma corrente crítica denominada perspectiva formativa da literatura brasileira. Para tanto, foram estudados alguns dos importantes críticos da obra de Machado de Assis, através de seus trabalhos mais relevantes, como Antonio Candido, Augusto Meyer, Raymundo Faoro, Antônio Carlos Secchin, Alfredo Pujol e José Guilherme Merquior. Pretende-se, com esse trabalho de compilação, identificar sob quais aspectos a perspectiva formativa diferese das demais linhas da crítica machadiana, bem como identificar os aspectos dessa perspectiva encontrados na literatura de Machado de Assis, tomando como ponto de apoio para exemplificação a novela O Alienista e os romances Quincas Borba e Memórias Póstumas de Brás Cubas, além de obras de autores da literatura universal tidos como influências explícitas do fazer literário machadiano.

Palavras-chave: Machado de Assis. Crítica. Historiografia. Perspectiva Formativa.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25112/rp.v2i0.701

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


............................................................................................................................................................................................................................

ISSN versão impressa: 1807-1112 
ISSN versão eletrônica: 2448-1939

Licença Creative Commons
Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Prâksis - Universidade Feevale (Novo Hamburgo, Rio Grande do Sul, Brasil).

............................................................................................................................................................................................................................
 
Desde 16/08/19