OS (DES)CAMINHOS NAS TRAJETÓRIAS DE JOVENS EM PROCESSO DE INSERÇÃO PROFISSIONAL

Teresinha Backes Piccinini

Resumo


Este artigo sintetiza o resultado da minha pesquisa de mestrado realizada entre 2004 e 2006. Desvelar as complexas trajetórias de inserção profissional, sustentada no pensamento dos autores com os quais no texto dialogo, constitui o foco central do meu percurso investigatório, porque creio ser um ponto de partida para a possibilidade de mudança rumo à inclusão social. A historicidade e a contradição constituem o viés desta pesquisa qualitativa, com enfoque na técnica do Discurso do Sujeito Coletivo, sob orientação teóricometodológica de F. Lefèvre e A.M. Lefèvre (2003). Do olhar aguçado nas trajetórias familiares e pessoais de escolaridade e ocupações profissionais resultam discursos que demarcam identidades, preconceitos e obstáculos provocadores de (des)continuidades. Da pesquisa resultam quatro reflexões: 1. as marcas do contexto social-cultural-econômico-histórico nas trajetórias de inserção profissional; 2. a relação da escola técnica nos processos de inserção profissional; 3. os elementos que circunscrevem a influência da faixaetária no processo de inserção profissional; 4. A influência do gênero no Curso de Eletrotécnica. Focalizo um homem circunscrito por ideologias/crenças engendradas por seu contexto sócio-econômicocultural, o habitus (BOURDIEU, 1988, 1997, 2001). Elucido processos de socialização que marcam trajetórias de profissionalização, um percurso não-linear, como preconizou a Teoria do Capital Humano.

Palavras-chave: Trajetórias de profissionalização. Sistema Produtivo e Educacional. Realidade Objetiva e Subjetiva.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25112/rp.v2i0.646

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


............................................................................................................................................................................................................................

ISSN versão impressa: 1807-1112 
ISSN versão eletrônica: 2448-1939

Licença Creative Commons
A Revista Prâksis segue os critérios da Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Prâksis - Universidade Feevale (Novo Hamburgo, Rio Grande do Sul, Brasil).

............................................................................................................................................................................................................................
 
Desde 16/08/19