AS VIAGENS VERTICAIS DE FEDERICO MAYOL E DE HANS CASTORP

Roberto Carlos Ribeiro

Resumo


Este ensaio aborda a questão da "viagem" na literatura de dois autores modernos, Thomas Mann e Enrique Vila-Matas. A viagem está presente na base de quase toda a literatura ocidental. Junto dessa questão, encontra-se a seqüência natural do viajante: o ato de comparar. A viagem não é somente o deslocamento horizontal; a viagem vertical é o resultado da união do deslocamento geográfico com o deslocamento memoriável, produzindo relações do exterior com o interior. As personagens das duas obras, viajando escarpa abaixo, chegam ao fundo do "eu", constituído de diferentes partes reencontradas através das paisagens e memórias percorridas.

Palavras-chave: Viagem. Deslocamento Geográfico. Deslocamento Memoriável.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25112/rp.v2i0.581

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


............................................................................................................................................................................................................................

ISSN versão impressa: 1807-1112 
ISSN versão eletrônica: 2448-1939

Licença Creative Commons
A Revista Prâksis segue os critérios da Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Prâksis - Universidade Feevale (Novo Hamburgo, Rio Grande do Sul, Brasil).

............................................................................................................................................................................................................................
 
Desde 16/08/19