ESTRATÉGIAS SENHORIAIS, ARTIMANHAS CATIVAS: RELAÇÕES ESCRAVISTAS NA FRONTEIRA ENTRE O BRASIL E O URUGUAI (SÉCULO XIX)

Marcelo Santos Matheus

Resumo


A fronteira sul do Império brasileiro foi palco de constantes conflitos. Seja entre os luso-brasileiros e o Império espanhol, entre os brasileiros e orientais ou argentinos, seja a Guerra do Paraguai, a região teve poucos momentos de paz ao longo do século XIX. Do mesmo modo, durante o Oitocentos, o regramento sobre o sistema escravista brasileiro sofreu importantes percalços, como o fim do tráfico em 1850 e a Lei do Ventre Livre em 1871. No Brasil meridional, a abolição da escravidão no Uruguai foi outro fator de desestabilização da instituição escravista. Mesmo em meio a estas contendas e mesmo com as mudanças pelas quais passavam as relações escravistas (no Brasil e fora dele), ali se estabeleceu a mais expressiva criação de gado de todo o país. E, mais importante, produção pecuária que tinha na mão de obra escrava algo estruturante de sua organização. É neste contexto que estudamos a relação entre fronteira e escravidão no presente artigo. Nele, buscamos entender como senhores e escravos lidavam com o espaço fronteiriço, utilizando tal aspecto em seu benefício. Foi possível identificar que a fronteira ora servia para que cada um dos polos buscasse seus objetivos, ora para forjar acordos entre eles, sendo sempre um fator fundante das relações ali produzidas.
Palavras-chave: Escravidão. Brasil meridional. Fronteira.

ABSTRACT
The southern border of the Brazilian Empire was the scene of constant conflicts. Between the Luso-Brazilians and the Spanish Empire, between the Brazilians and the Orientals or the Argentines, or the Paraguayan War, the region had few moments of peace during the nineteenth century. Likewise, during the nineteenth century, the rule on the Brazilian slave system suffered major setbacks, such as the end of trafficking in 1850 and the Free Womb Law in 1871. In southern Brazil, the abolition of slavery in Uruguay was another destabilizing factor of the slave institution. Even in the midst of these struggles, and even with the changes through which slave relations passed (in Brazil and elsewhere), there was established the most expressive cattle breeding in the whole country. And, more important, livestock production that had on the labor slave something structuring of its organization. It is in this context that we study the relationship between frontier and slavery in this article. In it, we sought to understand masters and slaves dealing with the frontier space, using such aspect to their advantage. It was possible to identify that the frontier now served for each of the poles to pursue their objectives, sometimes served to forge agreements between them, always being a founding factor of the relations produced there.
Keywords: Slavery. Southern Brazil. Border.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25112/rpr.v1i0.1746

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


............................................................................................................................................................................................................................

Image and video hosting by TinyPic

............................................................................................................................................................................................................................

ISSN versão impressa: 1807-1112 
ISSN versão eletrônica: 2448-1939

Licença Creative Commons
A Revista Prâksis segue os critérios da Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.
Revista Prâksis - Universidade Feevale (Novo Hamburgo, Rio Grande do Sul, Brasil).