FORMAÇÃO DOCENTE: UMA PERSPECTIVA REFLEXIVA E COLABORATIVA SOBRE METODOLOGIAS ATIVAS

Autores

  • Aline Vargas Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Josiane Carolina Soares Ramos Procasko Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.25112/rco.v3.2707

Palavras-chave:

Metodologias ativas, Formação docente, Comunidades de práticas

Resumo

Este estudo qualitativo aborda a relevância da inserção das Metodologias Ativas no ambiente escolar. Analisa-se o potencial das Tecnologias Digitais no contexto educacional no processo de desenvolvimento de práticas pedagógicas colaborativas. Parte-se de uma prática com professores de uma escola pública municipal de Novo Hamburgo, que teve como atividade principal a realização de formações em ambientes virtuais sobre o tema Metodologias Ativas, a fim de fomentar a autoria e a autonomia do professor, utilizando as inovações em sala de aula de forma mais fluida e significativa. Pela concretização desse planejamento, foram coletados e analisados dados levando em consideração as respostas de um questionário semiestruturado aplicado aos professores e reflexões a partir do embasamento teórico de diversos autores pautando a ação pedagógica. Dois vieses principais de investigação fazem parte do processo analítico deste trabalho: compreender as formações sob a perspectiva da aprendizagem em comunidades de prática e implementar a prática de metodologias ativas em um processo de ação-reflexão. O uso das Tecnologias Digitais cria situações que favorecem a aprendizagem significativa e tornam os professores autores de projetos coletivos.

Biografia do Autor

Aline Vargas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Pós-Graduada em Gestão da Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Porto Alegre/Brasil). Professora na Rede Municipal de Novo Hamburgo (Novo Hamburgo/Brasil). E-mail: alinervargas@gmail.com

 

Josiane Carolina Soares Ramos Procasko, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Porto Alegre/Brasil). Professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (Porto Alegre/Brasil). E-mail: josiane.ramos@poa.ifrs.edu.br

Referências

ALARCÃO, I. (org.). Escola reflexiva e nova racionalidade. Porto Alegre: Artmed, 2001.

ALARCÃO, I. Para uma conceptualização dos fenômenos de insucesso/sucesso escolares no ensino superior. In: TAVARES, José; SANTIAGO, Rui A. (Orgs). Ensino superior (in)sucesso acadêmico. Porto: Porto Editora, 2000.

ALARCÃO, I. Professores reflexivos em uma escola reflexiva. 3ª edição. São Paulo: Cortez, 2004.

ALVES, M.; QUEIRÓS, P.; BATISTA, P. O valor formativo das comunidades de prática na construção da identidade profissional. Revista Portuguesa de Educação, Universidade do Porto, v. 30, n. 2, p. 159-185, 2017.

ALVES, Nilda; Garcia, Regina Leite. O fazer e o pensar dos Supervisores e Orientadores Educacionais. São Paulo: Loyola, 1994.

ANASTASIOU, L. G. C.; ALVES, L. P. (Orgs). Estratégias de ensinagem. In: NASTASIOU, L. G. C.; ALVES, L. P. Processos de ensinagem na Universidade. Pressupostos para estratégias de trabalho em aula. 3. ed. Joinville: Univille, 2004. p. 67-100.

ARGYRIS, C.; SCHÖN, D. A. Organizational Learning: A Theory of Action Perspective. San Francisco, CA: Jossey-Bass, 1978.

BRASIL. Painel coronavírus [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde, 2020. Disponível em: https://covid.saude.gov.br/. Acesso em: 08 set. 2021.

CLASTRES, P. A sociedade contra o Estado – pesquisas de antropologia política. São Paulo: Cosac&Naify, 2003.

DEWEY, J. Vida e Educação. São Paulo: Nacional. 1959a.

DIESEL, A.; BALDEZ, A. L. S.; MARTINS, S. N. Os princípios das metodologias ativas de ensino: uma abordagem teórica. Revista Thema, v. 14, n. 1, p. 268-288, 2017.

FANTIN, M.; RIVOLTELLA, P. C. Cultura digital e formação de professores: usos da mídia, práticas culturais e desafios educativos. In: FANTIN, M.; RIVOLTELLA, P. C. (Org.). Cultura digital e escolas: pesquisa e formação de professores. Campinas: Papirus, 2012. p. 95-146.

FREIRE, P. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários para a prática pedagógica. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

GHERARDI, S.; NICOLINI, D.; ODELLA, F. Toward a social understanding of how people learn in organizations: the notion of situated curriculum. Management Learning, v. 29, n. 3, p. 273-297, 1998.

IMBERNÓN, F.; NETO, A. S.; DA SILVA, A. C. Reflexões sobre o conhecimento na formação de professores em comunidade de prática. Revista Iberoamericana de Educación, v. 82, n. 1, p. 161-172, 2020.

KIRK, D.; MACDONALD, D. Situated learning in Physical Education. Journal of Teaching in Physical Education, v. 17, n. 3, p. 376-387, 1998.

MORAES, R. et al. Pesquisa em sala de aula: fundamentos e pressupostos. In: MORAES, R.; LIMA, V. M. do R. (Orgs.). Pesquisa em Sala de Aula: Tendências para a educação em novos tempos. 2. ed. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004 a. p. 9-23.

MORAN, J. A. Educação que Desejamos: novos desafios e como chegar lá. Campinas, SP: Papirus, 2009.

MORAN, J. M. Desafios que as tecnologias digitais nos trazem. In: MORAN, José M. Novas tecnologias e mediação pedagógica. Campinas, São Paulo: Papirus, 2013.

MORAN, J. Mudando a educação com metodologias ativas. Coleção mídias contemporâneas. Convergências midiáticas, educação e cidadania: aproximações jovens, v. 2, n. 1, p. 15-33, 2015.

NOVAK, J.; GOWIN, B. Aprender a aprender. Lisboa: Plátano Edições Técnicas, 1999.

NOVO HAMBURGO. Organização da Ação Pedagógica Ensino Fundamental e EJA. Documento Orientador. Caderno 1 - Novo Hamburgo: SMED, 2019.

NOVOA, A. A formação em Foco. Revista Nova Escola. São Paulo: Ed. Abril, n. 142, mai. 2001.

OLIVEIRA, João Ferreira de; MORAES, Karine Nunes de; DOURADO, Luiz Fernandes. Conselho escolar e autonomia: participação e democratização da gestão administrativa, pedagógica e financeira da educação e da escola. Material didático utilizado no Programa Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, na disciplina Políticas e Gestão na Educação. 2010. p.1 – 7.

OLIVEIRA, João Ferreira; MORAES, Karine Nunes de; DOURADO, Luiz Fernandes. Gestão escolar democrática: definições, princípios e mecanismos de implementação. 2018. Disponível em: file:///E:/UFRGS%202017/oeb/textos/gestao/texto2_1%20(1).pdf. Acesso em: 10 set. 2020.

PAULINO, R. C. R. Uma abordagem para apoio à gestão de comunidades virtuais de prática baseada na prospecção de participantes ativos. Tese (Doutorado), Programa de Pós-Graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2011.

ROGERS, C. Liberdade para Aprender. Belo Horizonte: Ed. Interlivros, 1973.

SCHANK, R. What we learn when we learn by doing. Technical Report 60. Evanston, IL.: Institute for Learning Sciences – Northwestern University, 1995.

SILVA, H. De F. N. Criação e compartilhamento de conhecimento em comunidades de prática: uma proposta metodológica. Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Engenharia da Produção, UFSC, Florianópolis, 2004.

SILVEIRA, S. R. Metodologias Ativas. Mediação: Adriane Tremea Chiossi - Coordenadora Polo Sarandi. Produzido por Seminário Estadual de Educação no Século XXI: colaborar, inspirar, compartilhar e transformar. Ago. 2020. Vídeo do seminário (16min). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?time_continue=977&v=ax4K8isZKGY&feature=emb_logo. Acesso em: 18 ago. 2020. Palestra on-line.

SOUZA, Â. R. et al. Gestão e avaliação da Escola Pública I: Gestão Democrática da Escola Pública. Curitiba: Editora UFPR, 2005.

SOUZA-SILVA, C. de; DAVEL, E. Da ação à colaboração reflexiva em comunidades de prática. Revista de Administração de Empresas, v. 47, n. 3, p. 1-13, 2007.

SOUZA, A. R. Os caminhos da produção científica sobre a gestão escolar no Brasil. Revista Brasileira de Política e Administração da Educação. v. 22, n. 1, p. 13-40, jan-jun/2006.

THIOLLENT, Michel. Metodologia da pesquisa-ação. SP: Editora Cortez, 1986.

WENGER, E. C. KM is a doughnut: shaping your knowledge strategy through communities of practice. Ivey Business Journal, v. 68, n. 3, p. 1- 8, jan./fev. 2004.

WENGER, E. Communities of Practice: Learning, Meaning and Identity. Cambridge, UK: Cambridge University Press, 1998.

WENGER, E.; MCDERMOTT, R. A.; SNYDER, W. Cultivating communities of practice: A guide to managing knowledge. Harvard Business Press, 2002.

Downloads

Publicado

2021-10-01

Como Citar

Vargas, A., & Soares Ramos Procasko, J. C. . (2021). FORMAÇÃO DOCENTE: UMA PERSPECTIVA REFLEXIVA E COLABORATIVA SOBRE METODOLOGIAS ATIVAS. Revista Conhecimento Online, 3, 82–104. https://doi.org/10.25112/rco.v3.2707

Edição

Seção

Dossiê