A IMPORTÂNCIA DO CONHECIMENTO LOCAL DOS AGRICULTORES FAMILIARES E DEMAIS POPULAÇÕES RURAIS PARA O DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL

Autores

  • Odacir Miguel Tagliapietra Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE
  • Irene Carniatto Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE
  • Geysler Bertolini Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE

DOI:

https://doi.org/10.25112/rgd.v18i2.2470

Palavras-chave:

Gestão do Conhecimento, Agricultura Familiar, Desenvolvimento Rural Sustentável, Conhecimento Tradicional, Conhecimento Tácito

Resumo

Na sociedade do conhecimento, as pessoas são de grande importância para as organizações, pois são elas que possuem conhecimentos, muitas vezes tácitos, essenciais para o desenvolvimento de estratégias que visam ao aumento da competitividade e da produtividade. A busca pela valorização dos diversos saberes está se tornando cada vez mais uma dinâmica em todas as áreas do conhecimento. O processo de modernização da agricultura interferiu no modo de produção dos agricultores que, a partir de uma visão reducionista, buscou homogeneizar a forma de produção, fundamentada nos conhecimentos técnico-científicos, desconsiderando-se os saberes tradicionais das comunidades rurais. Nos últimos anos, estudos têm demonstrado a necessidade de se adotar uma abordagem Inter e Transdisciplinar com a preocupação quanto ao desenvolvimento sustentável, envolvendo diversos tipos de saberes. Assim, o objetivo deste artigo foi analisar o processo da gestão do conhecimento local ou tradicional no contexto da agricultura familiar e demais populações rurais na perspectiva do desenvolvimento rural sustentável, a partir de uma revisão sistemática na literatura. As bases de dados utilizadas para busca foram: web of Science, Scopus, Capes e BDTD. Os resultados das buscas foram oriundos dos seguintes Continentes: Ásia Meridional, Sudeste Asiático, Europa Ocidental, América do Sul e Oceania. Os estudos demonstraram que, na literatura e no meio acadêmico, nos últimos anos, houve uma valorização dos conhecimentos local ou tradicional. No entanto, na prática, ainda são poucas as iniciativas que estimulam o diálogo entre os conhecimentos técnico-científicos e os conhecimentos tradicionais.

Biografia do Autor

Odacir Miguel Tagliapietra, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE

Doutor em Desenvolvimento Rural Sustentável pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Marechal Cândido Rondon/Brasil). Professor Adjunto A na Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Marechal Cândido Rondon/Brasil). E-mail: odacir.tagliapietra@unioeste.br.

Irene Carniatto, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE

Doutora em Ciências Florestais, Conservação e Planejamento Integrado de Bacias e de Recursos Hídricos pela Universidade Federal do Paraná (Curitiba/Brasil). Docente do Programa de Pós-graduação Mestrado e Doutorado em Desenvolvimento Rural Sustentável e Coordenadora do Centro de Ensino, Pesquisas e Extensão em Proteção e Desastre da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Marechal Cândido Rondon/Brasil). E-mail: irenecarniatto@gmail.com.

Geysler Bertolini, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE

Doutor em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina (Florianópolis/Brasil). Pró-Reitor de Administração e Finanças na Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Marechal Cândido Rondon/Brasil). E-mail: Geysler.bertolini@unioeste.br.

Referências

ALMEIDA, J. Da ideologia do progresso à ideia de desenvolvimento (rural) sustentável, 2015. Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/237518300>. Acesso em: 10 jul. 2018.

ALTAFIN, I. Reflexões sobre o conceito de agricultura familiar, 2007. Disponível em: http://www.enfoc.org.br/system/arquivos/documentos/70/f1282reflexoes-sobre-o-conceito-de-agricultura-familiar---iara-altafin---2007.pdf>. Acesso em: 09 jul. 2018.

BARRUÉ-PASTOR, M.; BARRUÉ, M. M. Mémoire des catastrophes, gestion des risques et architecture paysanne en montagne. L’exemple des vallées du Haut-Lavedan dans les Pyrénées centrales françaises. Revue de Géographie Alpine, v. 86, n. 2, p. 25-36, 1998.

CASTRO, J. M. de; DINIZ, D. M.; DRESSLER, M. Fatores determinantes em processos de transferência de conhecimentos: um estudo de caso na Embrapa Milho e Sorgo e firmas licenciadas. Rev. Adm. Pública, Rio de Janeiro, v. 47, n. 5, p. 1283-1306, 2013.

CERVO, A. L.; BERVIAN, P. A. Metodologia científica. 5ª ed. São Paulo: Prentice Hall, 2002.

DAVENPORT, T.; PRUSAK, L. Conhecimento empresarial. Rio de Janeiro: Campus; São Paulo, 1999.

DRUCKER, P. F. A administração na próxima sociedade. São Paulo: Nobel, 2002.

FELICIANO, A. M. Extensão rural: criação, estratégias de uso e retenção do Conhecimento. 2013. 367 f. Tese (Doutorado em Engenharia e Gestão do Conhecimento) – UFSC, Florianópolis, SC, 2013.

GLASENAPP, Markus von; THORNTON, Thomas F. Traditional ecological knowledge of swiss alpine farmers and their resilience to socioecological change. Hum Ecol, New Delhi, v. 39, n. 6, p. 769-781, 2001.

HOFFMANN, R.; KAGEYAMA, A. A. Modernização da agricultura e distribuição de renda no Brasil. Pesquisa e Planejamento Econômico, Rio de Janeiro, v. 15, n. 1, p. 171-208, 1985.

IBGE - Fundação instituto brasileiro de geografia e estatística. Censo agropecuário 2006.Disponível em: <http://bibliotecadigital.seplan.planejamento.gov.br/bitstream/handle/iditem/722/agro_2006.pdf?sequence=2>. Acesso em: 02 jul. 2018.

KITCHENHAM, B.; BRERETON, O. P.; BUDGEN, D.; TURNER, M.; BAILEY, J.; LINKMAN, S. Systematic literature reviews in software engineering – A systematic literature review. Information and Software Technology, v. 51, p. 7-15, 2009.

MARQUES, F. C. Velhos conhecimentos, novos desenvolvimentos: transições no regime sociotécnico da agricultura a produção de novidades entre agricultores produtores de plantas medicinais do Sul do Brasil. 2009. 220 f. Tese (Doutorado em Desenvolvimento rural), UFRGS, Porto Alegre, RS, 2009.

MEDEIROS, J. X. de; WILKINSON, J.; LIMA, D. M. de A. O desenvolvimento científico-tecnológico e a agricultura familiar. In: Lima, D. M. de; Wilkinson, J. (Orgs.). Inovação nas tradições da agricultura familiar. Brasília: CNPq/Paralelo 15, p. 23-38, 2002.

NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. Criação de conhecimento na empresa. Rio de Janeiro: Elsevier, 1997.

OLIVEIRA JÚNIOR, S. B. de. Avifauna Pantaneira: diálogo de saberes científico e popular em áreas úmidas (São Pedro de Joselândia, Barão de Melgaço, MT). 2011. 115 f. Tese (Doutorado em Ciências) – UFSCAR, São Carlos, SP, 2011.

PANDEY, A.; SHARMA, M. L. Study on knowledge level of the tribal farmers regarding seed production and management in Surguja and Surajpur districts of Chhattisgarh, India. Plant Archives, v. 16, n. 2, p. 829-833, 2016.

PAZ, R. Mitos y realidades sobre la agricultura familiar en argentina: reflexiones para su discusión. Problemas del Desarrollo. v. 39, n. 153, p. 57-82, 2008.

PIMENTA, Rosângela Borges. Análise de maturidade da coprodução de conhecimento transdisciplinar: um estudo de caso em uma rede agroecológica. 2017. 240 f. Tese (Doutorado em Engenharia e Gestão do Conhecimento) - UFSC, Florianópolis, SC, 2017.

PLOEG, J. D. Van der. Dez qualidades da agricultura familiar. Cadernos de debate, São Paulo, n. 1, p. 1-16, fev. 2014.

POGUTZ, S.; WINN, M. I. Cultivating ecological knowledge for corporate sustainability: barilla’s innovative approach to sustainable farming. Business Strategy and the Environment, v. 25, n. 6, p. 435–448, 2016.

POONCHAROEN, N. The Effects of economic factors and knowledge management practices on the productivity of small farmers in the North of Thailand. International Business Management, v. 10, n. 4, p. 456-460, 2016.

SANTOS, K. P. P; SOARES, R. R; BARROS, R. F. M. Atividade pesqueira e construção de embarcações na colônia de pescadores z-18 do município de União/PI, Brasil. Holos, v. 31, n. 6, p. 90-106, 2015.

SCHIAVON, G. de A. et al. O conhecimento local sobre a fauna edáfica e suas relações com o solo em agroecossistema familiar de base ecológica: um estudo de caso. Ciência Rural, Santa Maria, v. 45, n. 4, p. 658-660, 2015.

SILVA, M. G. da. Trabalho, agricultura camponesa e produção do conhecimento agroecológico. Inter-Ação, Goiânia, v. 42, n. 2, p. 347-357, 2017.

THÉ, A. P. G. Conhecimento ecológico, regras de uso e manejo local dos recursos naturais na pesca do alto-médio São Francisco, MG. 2003. 197 f. Tese (doutorado em Ecologia e Recursos Naturais) – UFSCAR, São Carlos, SP, 2003.

TRICAUD, S.; PINTON, F.; PEREIRA, H. dos S. Saberes e práticas locais dos produtores de guaraná. Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi, Belém, v. 11, n. 1, p. 33-53, jan./abr., 2016.

VIEGAS, C. V. Atividades de gestão do conhecimento na elaboração do estudo de impacto ambiental. 2009. 362 f. Tese (Doutorado em Engenharia e Gestão do Conhecimento) – UFSC, Florianópolis, SC, 2009.

WANDERLEY, M. de N. B. O agricultor familiar no Brasil: um ator social da construção do futuro. In: PETERSEN, Paulo (org.). Agricultura familiar camponesa na construção do futuro. Rio de Janeiro: As-pta, p. 33-45, 2009.

WANDERLEY, M. de N. B. A valorização da agricultura familiar e a reivindicação da ruralidade no Brasil. Desenvolvimento e Meio ambiente, Curitiba, n. 2, p. 29-37, 2000.

WESZ JUNIOR, V. J.; TRENTIN, I. C. L. Agregação de Valor e Desenvolvimento Sustentável nos Municípios Rurais. Gestão e desenvolvimento, Novo Hamburgo, v. 3, n. 2, jul./dez. 2006.

ZUCHIWSCHI, E.; FANTINI, A. C.; ALVES, A. C.; PERONI, N. Limitações ao uso de espécies florestais nativas pode contribuir com a erosão do conhecimento ecológico tradicional e local de agricultores familiares. Acta Bot. Bras., v. 24, n. 1, p. 270-282, 2016.

Downloads

Publicado

2021-05-05

Como Citar

Tagliapietra, O. M., Carniatto, I., & Bertolini, G. (2021). A IMPORTÂNCIA DO CONHECIMENTO LOCAL DOS AGRICULTORES FAMILIARES E DEMAIS POPULAÇÕES RURAIS PARA O DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL. Revista Gestão E Desenvolvimento, 18(2), 178–199. https://doi.org/10.25112/rgd.v18i2.2470

Edição

Seção

Artigos Livres