PROCEDIMENTOS NA ORIENTAÇÃO DE ATIVIDADE FÍSICA PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL EM PROCESSO DE ENVELHECIMENTO

Autores

  • Roberta Marostega Feck Universidade Federal de Santa Maria
  • Luciana Erina Palma Universidade Federal de Santa Maria
  • Thuula Falkemback Aquistapasse Universidade Federal de Santa Maria

DOI:

https://doi.org/10.25112/rco.v2i0.2212

Palavras-chave:

Estratégias, Atividade Física, Deficiência Visual, Envelhecimento

Resumo

Este estudo teve como objetivo descrever os procedimentos para a prática de atividade física orientada para pessoas com deficiência visual em processo de envelhecimento. Tem caráter qualitativo, descritivo e contemplou a participação de 10 pessoas adultas com deficiência visual (cegos e baixa visão) e média de 55,2 anos de idade. As atividades foram desenvolvidas por meio de um Projeto de Extensão de uma Universidade Federal do Estado do Rio Grande do Sul (RS), sendo que as intervenções ocorreram em uma associação específica para pessoas com deficiência visual. Como instrumento, utilizou-se pareceres descritivos divididos em três categorias: 1) ambiente, 2) organização das atividades e 3) materiais. Como resultados, com relação ao ambiente, tem-se a importância de promover a adaptação e elaboração do quadro mental e a antecipação das mudanças no local. Na organização das atividades e materiais, foi essencial possuir um vocabulário claro, objetivo e acessível a todos e ter noções de lateralidade e direcionalidade, além de conhecer os nomes de cada atividade. Portanto, conhecer a pessoa, suas caracteristicas e especificidades, as condições do ambiente para melhor segurança, e adaptar, descrever o ambiente e as atividades com linguagem clara e objetiva para a formulação do mapa mental se apresentaram como procedimentos fundamentais e essenciais na orientação em programas de atividade física para pessoas com deficiência visual. Conclui-se que a prática de atividades físicas deve ser estimulada ao longo da vida, sendo um fator importante para uma melhor qualidade de vida desta população.

Biografia do Autor

Roberta Marostega Feck, Universidade Federal de Santa Maria

Mestra em Gerontologia pela Universidade Federal de Santa Maria (Santa Maria/RS/Brasil). E-mail: roberta.feck@hotmail.com.

Luciana Erina Palma, Universidade Federal de Santa Maria

Doutora em Ciência do Movimento Humano pela Universidade Federal de Santa Maria (Santa Maria/RS/Brasil). Professora na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). E-mail: luciana.e.palma-viana@ufsm.br.

Thuula Falkemback Aquistapasse, Universidade Federal de Santa Maria

Graduada em Educação Física Bacharelado pela Universidade Federal de Santa Maria (Santa Maria/RS/Brasil). E-mail: tufalkemback@gmail.com.

Referências

AMARO, D. G. Análise de procedimentos utilizados em uma proposta de formação contínua de educadores em serviço para a construção de práticas inclusivas. 2009. 257 p. Tese (Doutorado) Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

ARMOND, J. E.; TEMPORINI, E. R.; ALVES, M. R. Promoção da saúde ocular na escola: percepções de professores sobre erros de refração. Arq Bras Oftalmol., 2001, 64, p. 395-400.

GIMENEZ, R. Atividade Física e Deficiência Mental. In: GORGATTI, M. G.; COSTA, R. F. (org.). Atividade Física Adaptada: qualidade de vida para pessoas com necessidades especiais. 2. ed. Barueri, SP: Manole, 2008.

GUTIERRES FILHO, P. J. B. et al. Qualidade de vida de idosos com deficiência e prática de atividade física em instituições de longa permanência. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., v. 17, n. 1, p. 141-151, 2014.

HIGGERTY, M. J.; WILLIAMS, A. C. Orientation and mobility training using small groups. Journal of visual impairment & blindness, p. 755-764, December, 2005.

IBGE. Censo Demográfico 2010: Características gerais da população: resultados da amostra. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, 2010.

JÚNIOR, M. O. S.; MANZINI, E. J. Recursos e estratégias para o ensino do aluno com deficiência visual na atividade física adaptada. Marília: ABPEE, 2008.

LIMA, M. C. M. P. et al. Observação do desenvolvimento de linguagem e funções auditiva e visual em lactentes. Revista Saúde Pública, 38 (1), 106-112, 2004.

LORD S. R.; MENZ H. B. Visual contributions to postural stability in older adults. Gerontology, 46(6), p. 306-10, 2000.

MACHADO, R. R.; PALMA, L. E.; MANTA, S. W.; LEHNHARD, G. R. Um diagnóstico sobre a prática de atividades físicas por pessoas com deficiência visual. Conexões, 13(4), p. 33-48, 2015.

MARQUES, A. C. O papel da atividade física na saúde e qualidade de vida de pessoas deficientes. In: Congresso Brasileiro de Atividade Física & Saúde, 5., 2005, Florianópolis. Anais... Florianópolis: UFSC, 2005. p. 17.

MARTINS, N. A.; BORGES, G. F. A deficiência visual e a prática de atividades físicas. EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires, Año 16, Nº 164, Enero de 2012. Disponível em: https://www.efdeportes.com/efd164/a-deficiencia-visual-e-atividades-fisicas.htm. Acesso em: 20 fev. 2020.

MARTINS, N. A.; BERT, F. S. R.; BORGES, G. F. Um olhar sobre a deficiência visual e a prática de atividade física ao longo da vida. Revista Kairós Gerontologia, São Paulo (SP), 19(3), p. 339-358, 2016.

MAUERBERG, E. C. de. Atividade Física Adaptada. Ribeirão Preto, SP: Tecmedd, 2005.

MELO, P. J. de. O Ensino da física para deficientes visuais. Rev. Bras. Cienc. Esporte, Campinas, v. 25, n. 3, p. 117-131, maio 2004.

MINAYO, M. C. S. Visão antropológica do envelhecimento. In: Vários colaboradores (Orgs.). Velhices: reflexões contemporâneas. São Paulo: SESC; PUC, 2006.

MUNSTER, M. A.; ALMEIDA, J. J. G. Atividade Física e deficiência visual. In: GORGATTI, M. G.; COSTA, R. F. Atividade Física Adaptada: qualidade de vida para pessoas com necessidades especiais. Barueri, SP: Manole, 2005, p. 29-76.

MUNSTER, M. de A.; ALMEIDA, J. J. G. de. Atividade física e deficiência visual. In: GORGATTI, M. G.; COSTA, R. F. da. Atividade física adaptada: Qualidade de vida para pessoas com necessidades Especiais. Barueri: Manole, 2013. p. 28-74.

NAHAS, M. V .Atividade física, saúde e qualidade de vida: conceitos e sugestões para um estilo de vida ativo. 5. ed. rev. e atual. Londrina: Midiograf, 2010.

NAHAS, M. V. Atividade Física, Saúde e Qualidade de Vida: Conceitos e Sugestões para um Estilo de Vida Ativo. 6. ed. Rev. e Atual., Londrina: Midiograf, 2013.

NAHAS, Markus Vinicius; GARCIA, Leandro Martin Totaro. Um pouco de história, desenvolvimentos recentes e perspectivas para a pesquisa em atividade física e saúde no Brasil. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, v. 24, n. 1, p. 135-148, 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbefe/v24n1/v24n1a12.pdf. Acesso em: 15 fev. 2020.

RESENDE, M. C. Ajustamento psicológico, perspectiva de envelhecimento pessoal e satisfação com a vida em adultos e idosos com deficiência física. 129 p. Campinas, SP: 2006. Tese (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação da UNICAMP, Campinas, 2006.

RODRIGUES, D. Atividade motora adaptada: a alegria do corpo. São Paulo: Artes Médicas, 2006, p. 20-40.

SEABRA, J. M. O. Estratégia de ensino e recursos pedagógicos para o ensino do aluno com deficiência visual na atividade física adaptada. Tese de doutorado, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2008.

SERON, B. B.; INTERDONATO, G. C.; JUNIOR, C. C. L.; GREGUOL, M. Prática de atividade física habitual entre adolescentes com deficiência visual. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, 26(2), 231-239, 2012. Recuperado em 01 março, 2020, de: http://dx.doi.org/10.1590/S1807- 55092012000200006.

WOOLLACOTT, M. H. Controle postural normal. In: Controle motor: teorias e aplicações práticas. São Paulo: Manole, 2003, p. 153-78.

Downloads

Publicado

2021-06-10

Como Citar

Feck, R. M., Palma, L. E., & Aquistapasse, T. F. (2021). PROCEDIMENTOS NA ORIENTAÇÃO DE ATIVIDADE FÍSICA PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL EM PROCESSO DE ENVELHECIMENTO. Revista Conhecimento Online, 2, 145–158. https://doi.org/10.25112/rco.v2i0.2212

Edição

Seção

Artigos Livres